Rubens Jr: “Bolsonaro teve todo seu mandato para discutir com seriedade os preços dos combustíveis, mas fracassou”

Parlamentar utilizou a tribuna da Câmara dos Deputados para registrar medida ineficaz e eleitoreira do presidente

Entrou na pauta do plenário da Câmara o Projeto de Lei Complementar (PLP) 211/21, que estabelece limite para a tributação dos bens essenciais, especialmente energia, petróleo, telecomunicações e gás. O deputado federal Rubens Pereira Jr (PT-MA) utilizou a tribuna para registrar que esta é uma medida ineficaz e eleitoreira. “Bolsonaro teve todo seu mandato para debater com seriedade os preços dos combustíveis e energia e fracassou durante todo esse período. Agora, às vésperas da eleição, em uma tentativa desesperada, tenta utilizar o tema ‘tábua da salvação’ e nós não podemos concordar”, disse.

Para o deputado, em relação aos combustíveis, o maior erro é justamente atrelar o preço a dolarização. “E isso o projeto não enfrenta de forma nenhuma. Quem mais lucra é o investidor internacional que está tendo recorde de dividendos. O projeto só trás prejuízo para estados e municípios com menos saúde e menos educação na ponta”, acrescentou o parlamentar.

Em uma crítica às bancadas estaduais, que sempre “falam grosso” para defender seus estados e municípios, Rubens Jr apontou que agora fazem de conta que o PLP não vai mexer na arrecadação. “Na campanha de Bolsonaro, o lema era ‘mais Brasil e menos Brasília’ e agora acontece o contrário, um atento a estados e municípios para gerar uma grande quebradeira para esconder a incompetência do governo federal”, alertou o maranhense.

Ainda em seu discurso na tribuna, o deputado questionou: “Se quiséssemos discutir uma forma de compensar a diminuição da arrecadação, nós teríamos outros caminhos. Por que não pensamos em taxação de grandes fortunas, como está previsto na Constituição. Por que não tributar os dividendos e criar um fundo de compensação?”. Para ele, o projeto é eleitoreiro para perseguir prefeitos e governadores de estado.

Para finalizar, o deputado do PT lembrou que já ouvi argumentos parecidos nas cobranças de bagagens, na terceirização, porém a realidade não sustenta. “A política de combustíveis de Bolsonaro foi: fazer rodízios do presidente da Petrobrás. Toda hora ele muda. Mas não se preocupem. Estamos perto de fazer um rodízio de presidente e quando Lula voltar saberá derrubar o preço dos combustíveis”, disse Rubens Jr.

Confira o pronunciamento:

Deixe uma resposta