Movimento liderado por Rubens Jr dá voz a lideranças da Zona Rural de São Luís

Na noite desta quinta-feira (02), o pré-candidato a prefeitura de São Luís, Rubens Jr., deu continuidade à série de transmissões ao vivo em suas redes sociais, intituladas “Diálogos por São Luís”. A plenária territorial teve como tema principal a Zona Rural da capital maranhense, e na oportunidade o deputado federal licenciado recebeu os líderes comunitários Josefa Celestina de Jesus, Iraelson Ferreira, Benedito Inácio e Francisco Oliveira, para um bate-papo que mostrou antigos problemas da área, bem como apresentou algumas propostas para o desenvolvimento local.

A conversa evidenciou como a Zona Rural é historicamente desassistida pelo poder público e detém indicadores sociais abaixo do ideal, apesar do potencial econômico. Um exemplo claro dessa situação, é que no distrito do Maracanã, em torno de 16% das pessoas com cinco anos de idade ou mais não alfabetizadas na região.

A educação precária é apenas um ponto deficitário da Zona Rural de São Luís, que necessita prioritariamente, de melhorias de infraestrutura e saneamento básico, como destaca o deputado federal licenciado. “Em torno de 10% dos moradores das comunidades de Mato Grosso e Ribeira não possuem banheiro em suas casas. Isso mostra o quanto são precários os direitos na Zona Rural, e que o poder público tem que priorizar quem é mais pobre, quem é abandonado há mais tempo”, pontuou. Ainda em relação a sua forma que pretende gerir a capital à frente da prefeitura, Rubens indica que é exatamente por essa parcela da população que possui os piores indicadores, que se deve começar o trabalho.

Em constante crescimento, a região que já possui mais de 100 comunidades segundo a líder comunitária Josefa Celestina necessita de mais ofertas de serviços públicos de qualidade, dada alta demanda. Ela sinaliza que as causas mais urgentes se encontram na área de educação, saúde e transporte público para os moradores da área.

“Nós não temos postos de saúde. As escolas que já tinham poucas vagas e não comportava a demanda, não se criou mais vagas e esse número foi dividido para os novos moradores”, explica Josefa. Porém, ela demonstra esperança em uma futura gestão do pré-candidato do partido do governador Flávio Dino, e diz que espera que todas as comunidades da Zona Rural de São Luís se sintam representadas por Rubens Jr. e se sejam parte de um plano de governo que os inclua.

Em depoimento, o também líder comunitário Benedito Inácio chama atenção especialmente para o transporte público. Sendo o meio de locomoção mais usado em toda cidade, a Zona Rural também merece atenção total para este quesito. “Nosso transporte é precário, nós não temos uma regularidade de horários e com ônibus quebrados. Ainda não temos coletivos com ar-condicionado, nunca tivemos esse prazer. E precisamos desse olhar pelo poder público”, afirma. Em contrapartida, Rubens é enfático e comenta que o melhor jeito de garantir a segurança e rapidez do transporte na região, é começar a pavimentação por onde os ônibus circulam. Além de garantir economia de tempo para os moradores, essa condição é propícia para o desenvolvimento da região.

“Na agricultura, nós percebemos que os pólos aqui em São Luís, não têm assistência técnica que deveriam ter. Esse é de fato, um dos grandes problemas que temos aqui. Não há uma secretaria que dê o apoio aos agricultores familiares. E nós tivemos um potencial tremendo em São Luís”, explica Iraelson, líder comunitário que é membro do conselho de segurança alimentar da região.

Como proposta, Rubens cita será necessário um conjunto de ações estratégicas terão o foco principal na melhoria da produção e da condição de vida das famílias por meio do acesso ao conhecimento. Essas iniciativas irão capacitar os produtores, gerar emprego e renda, além de oferecer produtos de qualidade superior.

Recebendo o apoio e a confiança dos líderes comunitários, Rubens Jr. ressalta positivamente o caráter simples dos moradores da Zona Rural, e diz que trabalhará junto com a população para levar à região, o desenvolvimento. “Não apenas vamos recebê-los em nossa gestão. Vamos receber e ter a participação no governo. Afinal de contas, essa é a política que eu acredito. Quanto mais nós dialogamos, menos erramos”, finaliza Rubens.

Deixe uma resposta