Diálogos por São Luís com UJS debate juventude

Na tarde deste sábado (22), o pré-candidato a prefeitura de São Luís, Rubens Jr (PCdoB), promoveu um debate Juventude em São Luís, com jovens lideranças em uma transmissão ao vivo. O ex-secretário conversou com o coletivo de juventude do PCdoB, UJS, e o coletivo Elas, que apresentou a primeira candidatura no modelo coletivo do partido.

A live abordou primeiramente, a importância da discussão sobre o âmbito da juventude, principalmente por parte do poder público em relação a essa grande parcela da sociedade. A representatividade do jovem no Brasil que vem sendo diminuída, que por uma série de medidas tomadas pelo atual governo federal, torna ainda maior o desafio dos gestores municipais que se atentem para a pauta.

A conversa que teve o tom descontraído já mostrado pelo pré-candidato em suas redes sociais, não deixou de abordar de maneira séria as problemáticas dos jovens, ainda mais quando expandimos para aqueles que representam as minorias. Tendo esses problemas como ponto de partida, o representante da União Jovem do PCdoB, Edu Coelho, apontou o real motivo de declarar o apoio e a confiança na pré-candidatura de Rubens para a prefeitura de São Luís: dar continuidade nas políticas públicas que melhoraram e garantiram direito aos jovens.

“O nosso plano representa o sonho de uma geração, que bebeu das vitórias das gestões anteriores (Lula e Dilma), com mais acessos as Universidades Federais, mas que sonha com que tudo isso se mantenha e, como espaços e condições de aproveitar a nossa cidade. E para isso, damos total apoio ao Rubens como futuro prefeito com a nossa cara, para pintar São Luís com as nossas cores”, pontua Edu.

Tendo iniciado a sua carreira na vida pública ainda muito jovem, Rubens Jr. sabe da importância da valorização da juventude como instrumento de garantia de melhorias no indicadores sociais. Desde o ingresso ao legislativo, o pré-candidato sempre teve como base de suas ações, os feitos dos governos Lula e Dino, aos quais ele não esconde o apoio.

Para Rubens, os jovens precisam exercer papéis importantes no cenário político local, de forma não só opinativa, mas ajudando a construir uma cidade melhor. ”De fato tenho muito orgulho de carregar os feitos dos governos Lula e Flávio Dino. Eu não acredito em mitos. Quando eu falo e emito opinião, eu falo em nome de “Josys”, de “Luizas”, de “Jús” e de toda juventude de São Luís. É uma responsabilidade com quem está conosco”, enfatiza Rubens.

O bate-papo trouxe ainda a apresentação do Plano de Juventude Ludovicense, criado pela UJS de São Luís após dois meses de intensas reuniões virtuais em virtude da pandemia. O projeto contempla assegurar a criação de novas políticas públicas para juventude, e a manutenção das que já foram conquistadas. Segundo Alinne Martins, presidenta da UJS, a juventude precisa ser tratada de forma plural, seguindo cada uma as suas características.

“Importante levar em consideração que há juventudes, cada uma com suas particularidades, de esferas sociais, gênero, cor e orientação sexual, e isso sugere uma série de ações para toda juventude da ilha”, explica Alinne. A representante da União da Juventude Socialista enfatiza ainda a necessidade da implementação de um sistema de transporte eficiente e gratuito. Com o passe livre para a juventude, será possível garantir acesso à educação, atividade de cultura e lazer, mobilidade para emprego.

Por fim, a conversa teve também a apresentação da primeira candidatura coletiva do PCdoB para a câmara de vereadores de São Luís. As meninas do Coletivo Elas, apresentam a sua pré-candidatura de modo inovador em nossa cidade, onde cinco mulheres participam do mandato e juntas, decidem as melhores ações para cidade. Como cita a integrante do Elas, Josy Gomes, é necessário dar mais espaço e ocupação nos cargos políticos. “Defendemos a maior ocupação feminina nos espaços de poder. Não apenas brigar pela vaga da câmara, mas 5 mulheres juntas apresentando os anseios das mulheres, do público lgbt e de nosso povo”, comenta Josy.

A também integrante do Coletivo Ju Costa, é enfática em dizer que não há mais perspectivas para uma política que exclui a mulher, e que não tem como fazer política sem elas. Rubens finaliza mostrando apoio à candidatura do Coletivo Elas e enfatiza a importância dessa nova modalidade. “Nessa nossa crise da democracia, onde as pessoas não se sentem representadas, a candidatura coletiva veio para ficar”, pontua Rubens Jr.

Deixe uma resposta